Reostatos

Reostatos

O reostato (resistência variável) nada mais é do que um dispositivo que possibilita a variação da resistência de um circuito elétrico podendo, dessa forma, aumentar-se ou diminuir-se seu valor em função da necessidade de alteração da intensidade da corrente no circuito.



Os reostatos - muitas vezes chamados de potenciômetros - podem apresentar duas funções:

Reostato de variação contínua -
É aquele construído de forma a apresentar resistência que pode variar seu valor continuamenteentre entre dois pontos desde zero até um valor máximo pré-determinado. Ele é constituído, basicamente, por um condutor de determinado comprimento e um cursor que se move ao longo e em contato com o condutor.

Assim, variando-se a posição do cursor, variamos o comprimento do condutor e, portanto, a sua resistência elétrica de acordo com a segunda lei de Ohm

R = ρ L /A

Reostato de variação descontínua -
É aquele cuja construção é feita através de um conjunto de resistores com valores de resistência, pré- determinada, que ao serem conectados fazem com que o reostado apresente valores definidos e bem determinados.

Os dois principais tipos são o reostato giratório e deslizante.

Os reostatos são muito utilizados em partida de motores e geradores, atuando no campo dessas máquinas.

Quando há a necessidade de se aumentar a potência a ser dissipada pelo reostato, é utilizado um artifício de agrupamento de reostatos denominado Tandem. Pode-se, em geral, agrupar-se 2, 3 ou 4 reostatos individuais para obter-se uma potência total igual à soma das potências de cada reostato usado na associação. A associação dos reostatos pode ser feita em série ou em paralelo.

Existem ainda os reostatos fabricados para laboratórios que podem ser, também, lineares ou logarítimicos mudando apenas seu sistema de regulagem que pode ser manual ou micrométrico.

As ligas do material resistivo utilizados nos reostatos OHMIC são de alta resistividade e elevado ponto de fusão, não se oxidam a altas temperaturas, são de grande durabilidade e muita capacidade de sobrecarga, embora não se verifique a presença de temperaturas altas motivo pelo qual os reostatos podem ficar em uso por tempo ideterminado.

O reostato (e o potenciômetro) também oferecem utilidade quando não sabemos o valor de um resistor em um circuito. Podemos então montar uma ponte chamada ponte de Wheatstone (que é o princípio utilizado no instrumento que recebe esse nome) usada para medir resistência com extrema precisão. O circuito básico está indicado na figura 1.

Utilizando dois resistores R1 e R2 de valores conhecidos (iguais a R) um reostato (potenciômetro) Rv também de valor conhecido, podemos determinar o valor de Rx (resistor desconhecido ) através da relação:

R . Rx = R . Rv

pois, quando ao ajustar o reostato a corrente circulante no trecho BC for igual a zero dizemos que nestas condições a ponte está equilibrada (balanceada).

Dependendo da utilização e da forma como é construído os reostato pode ser linear (lin), quando o mesmo varia a uma taxa constante ou logarítimico (log) quando em um setor varia a taxas lentas e em outro setor varia a taxas mais rápidas. Símbolo:





< voltar